Scroll to top

Adentrando a vida amazônica em Alter do Chão


terramundi - 13 de janeiro de 2021 - 0 comments

Para quem não vive lá, pode ser difícil de imaginar a rotina e as imensas experiências que uma cidade ribeirinha como Alter do Chão tem para oferecer. Longe do ritmo acelerado das capitais brasileiras, a floresta Amazônica impõe uma cadência própria, inerente aos ciclos da natureza ali presente.

Dependendo da estação do ano, você pode pegar o período de cheia ou de seca – em ambos o local é lindíssimo. De agosto a dezembro, as precipitações diminuem e as praias se tornam mais aparentes. A fim de conhecer as praias fluviais do caribe amazônico, muitas pessoas preferem visitar Alter nessa época. No entanto, poucos sabem que o período de cheia é igualmente encantador: com o rio subindo, as florestas são inundadas e o visual é único.

Baseados nas vivências da equipe Terramundi no local, montamos uma pequena amostra de como os dias dos nossos viajantes podem ser preenchidos por lá.

Para chegar em Alter do Chão, é necessário voar até Santarém e depois partir via terrestre por cerca de 40 minutos. Ao chegar lá, a Pousada Vila de Alter pode te receber de braços abertos. Essa é sempre a hospedagem escolhida pela equipe Terramundi: uma acomodação de charme e experiência, nova, com atendimento excelente e estrutura que te faz ambientar. O conjunto todo faz da pousada um lugar que te permite sentir à vontade, em casa e muito acolhido.

 

Foto da pousada Vila de Alter do Chao - Blog Terramundi

Pousada Vila de Alter.

Um dia perfeito no período de cheia

Quando o rio sobe e a floresta se inunda, é possível passear de canoa por regiões como a Floresta Encantada. “É uma imersão total na natureza – aquele silêncio imenso, cortado pelo som dos pássaros que ecoam na floresta”, narra Denise Santiago, diretora comercial Terramundi. O nome da região, não à toa, sinaliza que é uma experiência encantada. 

 

Pôr-do-sol em Alter do Chão - Blog Terramundi

Pôr-do-sol em Alter do Chão.

 

É justamente neste período também que acontecem os espelhos d’água, fenômeno que possibilita com que você veja o reflexo da floresta inundada nas águas. Poucos são os viajantes que sabem a possibilidade de conhecer Alter do Chão durante as cheias e, por isso, o destino é pouco concorrido neste período. Imagine só, uma floresta inundada e toda a tranquilidade da natureza amazônica apenas você.

Já pela noite, uma experiência personalizada para os viajantes Terramundi, preparada integralmente como manda a tradição paraense. A piracaia é um costume dos pescadores da região, sempre realizada à noite e junto ao calor de uma fogueira. Ali, é possível ter um gostinho do que é a gastronomia local. A culinária paraense ganha prêmios em todo o mundo e oferece ingredientes pouco conhecidos em outras partes do Brasil e do mundo.

 

Piracaia em Alter do Chão - Blog Terramundi

Piracaia em Alter do Chão.

 

Montado na areia e sob a luz do luar, o cenário é composto por artesanatos locais, mesas baixas e tochas que iluminam ao redor. Na fogueira, o peixe é assado e combinado, depois, com caipirinhas e sucos de frutas da região. No silêncio da cidade ribeirinha, o som da música regional e das rodas de conversa tomam conta do ambiente. Não há nada mais característico dali que o Carimbó, ritmo que mistura as influências indígenas, portuguesas e africanas. As canções se estendem noite afora e fazem com que os viajantes alegrem ainda mais os corpos na dança.

 

Durante a seca

Se a sua escolha for visitar Alter do Chão em meses de seca, a experiência imperdível é navegar pelo Rio Arapiuns – e dormir embarcado. “Você não imagina encontrar águas tão transparentes quando vai navegar por rios, mas ali na região do Rio Tapajós e seus afluentes (que é o caso do Arapiuns), a água é muito clara e cristalina. Se der sorte, dá para ver os botos – ou golfinhos amazônicos – nadando ao lado. Encanta e surpreende”, conta Denise. 

 

Navegação e Alter do Chão a bordo do Belle Amazon - Blog Terramundi

Navegação no Rio Arapiuns a bordo do Belle Amazon.

 

É nas águas que deram ao local o apelido de caribe amazônico que você é levado às praias tranquilas do norte brasileiro. Quanto mais percorrer o Rio Arapiuns, mais desertas e preservadas os locais de parada. E, em sua embarcação, toda a estrutura necessária para uma acomodação com conforto e dentro da essência amazônica, com gastronomia característica.

Nesse percurso, a Terramundi também proporciona que seus viajantes conheçam comunidades ribeirinhas e indígenas – um momento muito especial e marcante, regido sob protocolos de segurança.

Viaje para Alter do Chão com a Terramundi

Alter do Chão não é um lugar para se conhecer com pressa. É o Carimbó, a água doce, a floresta tropical, sabor criativo e caprichado e a simplicidade que salta aos olhos. Como dissemos no início do artigo, a cidade ribeirinha tem seu próprio ritmo e é preciso aceitá-lo por completo para aproveitar a viagem como deve ser: em sintonia com a essência local. Todo o encanto está presente ali pelo respeito ao ritmo da Amazônia: as lendas, festas, gastronomia e atividades são ditadas por essa harmonia entre a comunidade local e o meio. E, para conhecer isso verdadeiramente, recomendamos uma viagem de, ao menos, 5 dias. Entre em contato e conheça as possibilidades de roteiro.

Posts Relacionados