Scroll to top

O futuro das viagens


terramundi - 30 de abril de 2020 - 0 comments

Possíveis caminhos, cuidados e uma nova visão de mundo trilham o futuro das viagens

 

Antes da quarentena, estávamos vivendo em um mundo acelerado, em que correr era preterido ao caminhar, o gritar era utilizado no lugar do falar. Estávamos por toda a parte sem entender o que isso significava de maneira profunda. Sabíamos percorrer, mas não pertencer.

A pandemia do coronavírus nos pausou e limitou nosso espaço. E, como resultado, nossos deslocamentos estão sendo questionados. Não mudamos de ideia – ainda queremos ir a lugares. Mas seremos necessariamente muito mais cautelosos com o que e como o fazemos. Estamos olhando para nós mesmos e nosso relacionamento com o mundo.

É por isso que, agora, estamos procurando maneiras de tornar o viajar mais simples, mais puro e mais significativo. Para embarcar em uma nova jornada, vamos buscar experiências mais brutas e profundamente relaxantes. Desconectados.

Talvez possamos encontrar mais sentido em uma cabana privada no cenário verde da Mata Atlântica, próximo à nossa casa, que em uma viagem ao Japão. Talvez compartilhar com nossa família uma noite de observação de estrelas no Atacama, nosso continente, seja mais intenso que partir para Bangkok. 

Listamos algumas tendências de como poderá ser o futuro das viagens na prática. Confira.

 

Destinos

A princípio, grandes deslocamentos ainda estarão fora das prioridades. Como viajantes, é necessário diminuir as distâncias para evitar muito tempo em transporte. 

Entornos das capitais que oferecem refúgio na natureza serão boas opções para um escape seguro e envolvente. Estar ao ar livre pode ser uma prioridade para quem ficou esse tempo em casa.

Transportes

Futuro da viagem

Viajar com seu próprio carro para lugares próximos é a escolha, inicialmente, mais segura. É provável que, em seguida, os voos domésticos ganhem espaço – o que acarretará em crescimento do turismo pelo nosso país. 

Apenas após um tempo de retomada nas viagens que voos internacionais serão visadas. Acredita-se que as companhias aéreas realizarão algumas transformações, como assentos médios vazios e redução na interação a bordo.

Acomodações

Cruzeiros e hoteis devem alterar um pouco seus serviços e estrutura. Cabines maiores e menor densidade de passageiros pode ser uma maneira de atrair novos viajantes. Reduzir o serviço de buffet na área gastronômica e se investir em refeições à la carte entre as faixas de preços pode ser outra maneira de tranquilizar hóspedes que estarão ainda receosos. 

Simultaneamente, outra mudança também será notada: a higiene será exigida – e de forma minuciosa. Todos estabelecimentos e serviços, seja cruzeiro, tours ou hoteis terão que transformar a forma como monitoram e limpam o ambiente com o qual os viajantes interagem. Comunicar a segurança dos protocolos pode ser uma forma de tornar os processos claros e aumentar a confiança entre passageiros e empresa.

As viagens como conhecemos serão transformadas. Podemos voltar ao movimento de uma maneira muito mais responsável e ética. E, no futuro das viagens, teremos ainda um mundo à nossa espera.

Posts Relacionados