Scroll to top

Comida boa é comida do Cáucaso: saboreie Geórgia, Armênia e Azerbaijão


terramundi - 10 de janeiro de 2019 - 0 comments

Você já deve ter ouvido falar da Geórgia, e não estamos falando do estado americano, mas do pequeno país que fica entre o Mar Negro e a Cordilheira do Cáucaso, que fez parte do Império Russo e da União Soviética e que é um dos lugares mais exóticos da Europa! Ele faz parte do Cáucaso do Sul, região que ainda abraça Armênia e Azerbaijão, outras duas nações fora do comum e que partilham junto com os georgianos um dos maiores chamarizes e diferenciais para destinos de viagem: gastronomia deliciosa e única!

Pra começo de conversa, na Geórgia, na Armênia e no Azerbaijão as pessoas têm muito orgulho de sua culinária. E não é pra menos! Nos três casos, a comida é variada, com base em raízes rurais, clima local e história recheada de influências de outras culturas. Está a fim de experimentar boa parte da gastronomia do mundo, em apenas um pedaço dele? Então, veja o que cada um destes países reserva pra você em termos de sabores!

 

Georgia

 

A comida por lá é uma “perdição”, super saborosa e realmente um dos maiores atrativos do país. É também um elemento social de peso: saiba que em toda celebração ou ocasião especial na Geórgia sempre há uma mesa farta e com muito vinho! É a tradicional supra (palavra georgiana para banquete), experiência pela qual você deve se sentir privilegiado se viver. Além de fartura, na Georgia não faltam ingredientes locais e da época. Pode esperar muitos vegetais, carnes, pão e queijo, muito queijo!

 

Entre os pratos mais famosos:

 

Khachapuri: é talvez o mais famoso dos pratos típicos e significa, literalmente, pão com queijo. Só que não se trata de um sanduíche, mas de uma massa, assada, com consistência de pão mais macio, recheada com queijo. São vários tipos, cada região tem o seu e dá para comer em todo canto, seja em restaurantes ou em uma portinha que vende salgados típicos.

Khinkalis: são os dumplings georgianos, maiores que os asiáticos, cozidos e recheados tradicionalmente de carne, embora possam ser recheados com queijo, cogumelos e batatas (opções menos tradicionais). Come-se com as mãos e tudo bem se fizer sujeira devido à textura da massa, que é cozida e meio molenga. Dica: sair para comer khinkalis é a garantia de comer muito (e bem) e gastar pouco.

Bradrijani Ngvizit: fatias de berinjela levemente fritas e recheadas com uma pasta feita com nozes, alho e temperos locais e decorada com sementes de romã.

Shkmeruli: frango cozido em molho de alho e leite, e finalizado no forno. Se tiver um pouco de adjika (pasta de pimenta típica) para ficar picante, costuma ficar melhor ainda.

Salada Georgiana: tomates, pepinos e cebolas, misturados a um molho de nozes. É simples, mas acredite, os tomates aqui são deliciosos e muito suculentos, assim como o pepino tem sabor bem diferente do exemplar brasileiro.

 

Armênia

 

Os armênios levam suas refeições muito a sério: elas costumam ser longas e fartas. E as delícias da culinária armênia são incontáveis, de entradas a sopas! Os restaurantes tradicionais oferecem as refeições em ambientes decorados de maneira caseira e familiar e a cultura dos tempos mais antigos recheia cada garfada em solo armeno. Ah, tudo, absolutamente tudo, é acompanhado de pão! O mais tradicional é o lavash, um que é bem fininho e preparado como se fosse uma longa folha, mas há outros tipos artesanais.

 

Entre os pratos típicos mais famosos:

 

Ishli kyufta: tipo de um quibe, só que menos frito. A ishli kyufta é preparada com carne de vitela.

Dolma os famosos charutinhos, enrolados nas folhas de uvas, tem o recheio de arroz, carne moída e legumes. Acompanhados do matsum (creme azedo), são imbatíveis! E, no verão, alguns restaurantes oferecem enrolados em folhas de cenouras.

Khachapuri: é um prato tradicional georgiano, mas os armênios deram seu toque especial, fazendo o khachapuri de queijo com 2 ovos por cima.

Harrissa: feita à base de iogurte, manteiga, grãos de bico e frango, é meio que uma pasta.

Azerbaijão

 

Das 11 zonas climáticas conhecidas no mundo, o Azerbaijão tem nove, o que contribui significativamente para a fertilidade da terra, que por sua vez resulta em uma riqueza culinária sem tamanho. Uma característica da gastronomia desse país da Ásia é o uso de cordeiro. Vale dizer que os pratos têm grande influência do Islã e – como resultado – não incluem porco e que a tradição é preparar tudo com utensílios de cobre. Outra peculiaridade é o uso de todos os tipos de especiarias e ervas (como pimenta amarga e doce, manjericão, canela, cravo, endro, salsa, coentro, hortelã, cominho…), o que aproxima a culinária local da oriental e culmina em aroma e sabor marcantes!

 

Entre os pratos típicos mais famosos:

Dolma: é um dos pratos mais típicos. A mistura de carne, arroz e legumes envolvidos por uma folha de videira faz parte do património imaterial da humanidade da Unesco.

Pilaf: um dos pratos mais famosos da culinária do Azerbaijão é o pilaf. Existem várias variedades de pilaf do Azerbaijão: kaurma-pilaf (com carne de carneiro), peru-kaurma-pilau (com cordeiro e fruta azeda), chiy-dohama-kaurma-pilaf (com cordeiro, abóbora e castanhas), etc.

Caviar negro do Mar Cáspio: é uma das iguarias mais conhecidas do Azerbaijão, bem procurada em outras partes do mundo, incluindo os antigos países soviéticos.

Chá preto: é a bebida nacional e é consumido após a ingestão de alimentos. Também é oferecido aos hóspedes como um gesto de boas-vindas, muitas vezes acompanhado de conservas de frutas.

Piti: a sopa nacional do Azerbaijão feita de pedaços de carne de carneiro no osso, cozida com legumes em um caldo; preparado e servido em potes individuais.

Kufta bozbash: sopa de ervilha com almôndegas de cordeiro e batatas cozidas. As almôndegas em kufta bozbash são grandes, saudáveis ​​e feitas de carne de cordeiro e arroz, às vezes com uma ameixa seca e picante por dentro.

**

Agora é só saborear cada país e seus encantos culinários!

Posts Relacionados