Scroll to top

Um mundo de comida picante: destinos onde o tempero da comida se alia ao da paisagem!


terramundi - 21 de agosto de 2018 - 0 comments

Gostar de pimenta pode tornar sua viagem ainda melhor – fato! Isso porque há países do globo onde a comida torna tudo mais marcante, literalmente. Há sabores mais fracos e mais fortes, mais ou menos ardidos, assim como paisagens que se diferenciam entre montanhas e praias, ou características que fazem desse ou daquele destino mais doce, mais místico… Ou seja, no cardápio do mundo, tem opção para todo o gosto!

E se você acha que turismo gastronômico é só para apaixonados por culinária, pode ir tirando isso da cabeça. Experimentar comidas diferentes, novos temperos e novas texturas é para qualquer viajante! Afinal, a gastronomia faz parte da cultura local, traz você para mais perto de um povo e cria memórias! Por isso mesmo, selecionamos o que há de mais saboroso pelo globo, levando em conta ela, que tanto seduz, impacta, tempera… a pimenta! Até porque, em todos esses destinos, é comum ser conquistado pelo seu sabor, acredite! Se não acontecer, sem problemas: nossas sugestões vão além dos pratos típicos, e reservam ótimos atrativos além deles!

 

Bahia

Não estranhe não, a gente é bom nisso! O maior produtor mundial da pimenta até a década de 1990, acredite se quiser, não era o México, era o Brasil! Fomos ultrapassados por mexicanos, indianos e tailandeses, mas o fruto ainda é o terceiro tempero mais produzido e consumido no país. Entre as mais plantadas em solo nacional estão as pimentas malagueta, comari, de cheiro e chifre de veado.

 

 

A Bahia honra nossa história, não apenas com paisagens deslumbrantes que hipnotizaram os Portugueses, mas com pratos saborosíssimos, e temperados, claro! Entre eles, o icônico acarajé, o não tão conhecido arroz de auçá (versão baiana do arroz de carreteiro que leva camarão seco, dendê e pimenta), o caruru e a moqueca… Aproveite uma viagem paradisíaca pela Península do Maraú, Trancoso ou Itacaré e explore não só o coco, o sol e as areias, mas a gastronomia ímpar de um canto especial do nosso país.

 

Vietnã

Vivenciar um roteiro pelo Vietnã é como provar uma receita de sucesso: os ingredientes são tão diversos quanto os dos pratos que fizeram de sua gastronomia uma das mais festejadas do planeta. Aham, se você nunca havia ouvido falar da comida vietnamita, repita com a gente: muito prazer. Pra começar, comer por lá é uma experiência autêntica: o cozinheiro usa, em vez do chapéu de chef, um daqueles típicos de plantadores de arroz. Pra “finalizar”, muito sabor…e pimenta!

 

 

Os maiores produtores de café robusta do mundo estão destinando mais terra vietnamita ao cultivo do fruto, que teve aumento dos preços até oito vezes mais rápido do que o grão de café. Vale dizer que o país é o maior produtor e exportador de pimenta preta. Sem falar na Sri Racha, cidade no Vietnã onde nasceu David Tran, criador da famosa pimenta de mesmo nome da cidade! Criada nos Estados Unidos na década de 80 (David foi pra lá e não encontrou nenhuma pimenta do seu gosto), a receita original de Sri Racha (que leva em média 1 alho inteiro em cada pote além de outros temperos) foi sucesso de vendas e passou a render milhares de dólares. A Sriracha é produzida apenas uma vez ao ano, com pimentas colhidas no mesmo dia da produção e não é do tipo de que só arde, mas que dá sabor ao prato; dizem que astronautas da Nasa costumam pedir a inclusão dela no cardápio que vai para o espaço!

 

 

Pra quem quer experimentar um dos pratos típicos do Vietnã famoso pela diversidade de temperos, a dica é a Pho, sopa consumida em quase todos os lugares. Mas, acredite, qualquer prato que provar vai trazer o melhor da lógica da cozinha asiática, cheia de cores, aromas e texturas diversas, com o toque do Vietnã: tudo muito saboroso e simples ao mesmo tempo! Para os não amantes de sabores marcantes, vale experimentar um bom e famoso café! Sem esquecer de que a viagem ainda promete cultura secular, lindas formações rochosas que despontam nas águas verdes da Baía de Halong, lanterninhas coloridas que decoram seu caminho, entre outras tantas experiências.

 

Tailândia

O mar verde cristalino e as compridas rochas que despontam da água desenham o paraíso, ou melhor, as praias tailandesas. Seja em passeios de barco, mergulhos, spas, hotéis ou restaurantes – que servem uma das comidas mais saborosas do planeta, diga-se de passagem –  a Tailândia é puro encanto, especialmente para recém-casados ou namorados em busca de uma experiência inesquecível. Das praias do sul às montanhas do norte, dos templos budistas à cultura bem preservada, esse é o destino certo para enamorar-se! E apimentar a vida, a relação, o seu paladar.

 

Rica em sabores e texturas, a comida tailandesa conquistou o mundo e é um dos principais motivos para se visitar o país, junto à natureza exuberante, claro. Pode esperar sabores e temperos exóticos que misturam doce, salgado, ácido e picante.

 

 

Peça pelo Pad Thai, o prato mais famoso da cozinha tailandesa e que está por todos os lados, nas barraquinhas de rua e nos restaurantes conceituados, tendo como base noddles salteados com soja, carne, camarões, tofu, vegetais e muitas vezes amendoim. O mais bacana? Os molhos picantes são adicionados ao seu gosto! Outra dica é o Guay Jub, sopa que tem como base os noodles de arroz, tofu, carne de porco e ovos cozidos, herança chinesa na Tailândia. É servida nas versões clara e escura, sendo a primeira mais suave e a segunda com mais especiarias. Mais uma opção? Fique com o Tom Yum Kung, sopa de camarões picantes e leite de coco.

 

Sri Lanka

O Sri Lanka é também conhecido como a Ilha das Especiarias, só por aí já dá para se ter uma ideia do que encontrar na comida de lá, certo? É aquela gastronomia asiática que, assim como na Índia, se reserva o “direito” de ser menos picante nos locais mais turísticos, e preserva lugares que puxam para o ardente – afinal, é assim que o prato é servido tradicionalmente. O arroz e o curry (mistura de especiarias muito utilizada na culinária de países como Índia, Tailândia e alguns outros países asiáticos) vão estar presente em todo o lugar. Aliás, você vai provar arroz com curry, e o curry em preparos de frango, vegetais e etc.

 

 

Uma das atrações da capital Colombo é o templo Gangamaya, além das redondezas do antigo Dutch Hospital, que agora é uma galeria que abriga o famoso restaurante Ministry of Crab, onde a principal pedida são os enormes caranguejos, iguaria da culinária local. Para ir além da gastronomia, a dica é Kandy, cidade de montanha e cultural, dona de uma aura mística. É conhecida por um belo lago, em cuja margem se encontra o Templo do Dente de Buda, principal centro religioso dos budistas e que, sim, guarda essa relíquia humana respeitada como uma valiosa reminiscência da arcada dentária de ninguém menos que Buda.  Já na região do litoral, há bonitas praias, enquanto no interior chamam atenção as enormes fazendas que cultivam chás.

 

Índia

País que desperta todos os sentidos, com destaque para o paladar: estamos falando de uma das melhores comidas do mundo! É uma das mais peculiares também, o que atrai pessoas a fim de provar as autênticas iguarias de uma cultura milenar recheada de contrastes, sabores, aromas e surpresas. Dizem que provar a comida indiana é uma experiência que mudar sua vida…

 

 

Uma vez lá, entregue-se aos sabores das especiarias e sabores que nunca imaginou. Pode começar devagar, obviamente, mas prove. Essa é a dica. A Samosa, por exemplo, merece ser degustada por ser uma comida indiana muito famosa e deliciosa: é um pastel frito que pode ser recheado com lentilhas ou algum tipo de carne, sempre temperado com especiarias indianas. No norte, o Frango na Manteiga é algo típico: frango marinado em iogurte e uma mistura de especiarias cozidas com um molho feito com manteiga e pasta de tomate, geralmente acompanhado de lentilhas pretas, salada verde e um pão chamado Naan.

 

O Curry de Peixe é mais uma das especialidades da casa, preparado de forma diferente em cada região do País, e tem também o Vindaloo, prato que representa um pouquinho do tempero português na comida indiana – feito com carne de porco, cardamomo, pimenta, canela, gengibre, alho, pó de mostarda e vinagre. Não deixe de provar as variadas masalas – espécie de mistura de condimentos parecida com o curry, que pode ser pouco ou bastante apimentada, além de chutneys, frangos e caldos picantes.

 

Peru

Fruto tipicamente americano e originária do México Central, a pimenta vermelha surgiu em torno de 7 mil anos a.C. e logo se espalhou em direção à Bolívia e ao Peru. Na América Central, a espécie pioneira é a Capsicum annuum, mais conhecida como pimentão e na América do Sul é a Capsicum frutescens, a famosa pimenta-malagueta. Definitivamente, a pimenta é planta mais velha em cultivo da América! E continua sendo sucesso absoluto em terras Peruanas…

 

Dentro da variedade, originalidade e a riqueza alimentícia do Peru (características que fizeram da sua culinária uma das mais famosas do mundo), as pimentas têm destaque, tendo todos os tipos de ardência e cores! Uma delas, a pimenta peruana (tem esse nome mesmo) é conhecida também como pimenta peruana redonda justamente por conta de forma arredondada, possui uma grande resistência ao frio, é cultivada em regiões montanhosas e, por conta de seus frutos conterem bastante polpa, geralmente é consumida frita. Se ela é picante? Muito! Em uma escala de 0 a 10, considere 7.

 

 

Para quem quer provar os pratos clássicos (e picantes), a dica das dicas é o Ceviche: a versão clássica deste que pode ser considerado um dos pratos símbolo do Peru é feita com peixe marinado em limão, coentro, cebola e pimenta. Há uma variedade muito grande nas receitas em cada região e muita gente o considera afrodisíaco. Outra sugestão com sabor intenso é o Ají de Galinha: frango desfiado e misturado com um caldo preparado com leite, pimenta e pão, servido com batatas amarelas, azeitona preta, arroz e ovo cozido.

 

Colômbia

A culinária colombiana é rica e diversificada, uma verdadeira explosão de sabores: a própria localização geográfica do país contribui, afinal parte fica voltada para o Pacífico, parte para o Atlântico e parte para a Amazônia – o que reflete em uma variedade imensa de pratos típicos. Junte aí os costumes indígenas às preferências dos colonizadores europeus. Junte mais… A Colômbia vai além da mesa e brinda seus visitantes com cores, arte e muita história, além de proporcionar os mais diversos cenários naturais como as praias, região montanhosa e a selva Amazônica.

 

 

Mas voltando a falar de comida? A gastronomia local está cada dia mais em destaque, com restaurantes de Bogotá entre os melhores da América Latina. Se você for amante do sabor intenso das pimentas, a dica é temperar tudo com “ají”, uma versão colombiana do nosso vinagrete, que leva coentro, pimenta habanero, tomate e limão. Muy picante e perfeito para acompanhar seus patacones, arepas, seu peixe ou qualquer outra comida típica!

 

Etiópia

A pimenta se espalhou pelo planeta com a ajuda das Grandes Navegações, sendo exportada da América para a Europa. Não demorou muito para ela ser conhecida nos sete mares: através dos navios portugueses, foi também parar na Ásia e na África. Hoje, um dos países africanos africanos que tem uma infinidade de pimentas é a Etiópia, que se destaca ainda pela beleza das cores e disposição quase que artística dos elementos no prato.

 

 

A Etiópia surpreende também longe da mesa. Ela foge ao estereótipo dos países vizinhos, famosos pelos safáris, deu ao mundo o café (prove!), e encanta com suas igrejas escavadas nas pedras de Lalibela ou com a cultura ancestral do Vale do Omo! Mas se é pra falar de suas pimentas, vamos às mais famosas – a berbere e a niter kibbeh. Vale dizer que o principal prato etíope é a injera, espécie de panqueca gigante feita de farinha fermentada na água por alguns dias e depois cozida em chapas de ferro ou barro. Diferentes tipos de wot (mistura temperada de carnes ou legumes) são servidos sobre a massa que também funciona como talher: gentilmente se come com um pedaço dele! E, sim, os acompanhamentos podem e devem ter temperos exclusivos como o berbere (pó vermelho super picante!). Dica: se você não gosta de comida apimentada, aprenda a dizer: “Iale berbere”, sem pimenta em amárico. =)

Posts Relacionados