Scroll to top

Viagem no Brasil: uma seleção dos melhores destinos nas melhores épocas!


terramundi - 19 de junho de 2018 - 0 comments

Quando ir para a Amazônia? Bahia? Bonito? Jalapão? Brasil é mesmo uma mistura exuberante de beleza natural, cultura especial, charme acolhedor e destinos que permeiam tudo isso – assim como o Atlântico decora nossas belas praias ou a mata adentra nossos corações. Para ajudar, o clima extremamente favorável que delicadamente nos dá a melhor direção, conduzindo a Norte, Sul, Centro, Oeste. Só não podemos dizer que fica fácil escolher dentre as opções, mas – aham – é quase intuitivo, e simples! Separamos os melhores lugares e as melhores épocas do ano pra te ajudar: com essas informações em mãos, é só traçar a sua rota de… viagem no Brasil!

 

FERNANDO DE NORONHA

O paraíso brasileiro, no estado de Pernambuco, reúne 14 praias, três baias e uma enseada, além de piscinas naturais e refúgios para contemplação da natureza, seja na parte “mar de dentro” (voltada para o Brasil) quanto na parte “mar de fora” (com um oceano de possibilidades literalmente). Nas praias voltadas para o nosso continente, pode esperar areias claras e mar tranquilo a maior parte do ano, o que muda com a chegada dos famosos swells em dezembro: tempestades no hemisfério norte que refletem em ondas enormes por aqui e abrem a temporada de surf até março!  

 

Fernando de Noronha paisagem

 

Embora mais disputada, a época de festas é também oportunidade para os viajantes que não surfam, mas que desejam entrar em contato com a natureza idílica para apertar o “start” para um novo ano. Do outro lado da ilha fica o “mar de fora”, dono de um azul impressionante e mar agitado. Em alguns pontos, os arrecifes protegem e as águas ficam calmas e deliciosas para o banho de mar!  Janeiro, fevereiro e março também são ótimos para explorar o arquipélago, reconhecido como um dos mais lindos do mundo e que, a partir de setembro, torna-se ainda mais receptivo para o mergulho.

 

CHAPADA DIAMANTINA

Em novembro, dezembro e janeiro, ela recebe o afago da chuva, o que deixa suas cachoeiras, rios e piscinas naturais bem mais cheias e super convidativas! Não sabe muito bem do que estamos falando? O Parque Nacional da Chapada Diamantina fica no centro da Bahia, bem onde nascem os rios das bacias do Paraguaçu, Jacuípe e Rio de Contas, ou seja, dá pra imaginar o tanto de água que desliza pelo relevo e forma incríveis quedas d’água?

 

Chapada Diamantina Cachoeira

 

Com mais de trezentas cachoeiras e inúmeras trilhas, grutas e montanhas, a região é o lugar certo para quem curte conhecer a natureza por ângulos diversos, sem repetir uma atração sequer – entre elas, o Morro do Pai Inácio, a Gruta da Pratinha, o Poço Azul e as Cachoeiras da Fumaça, do Buracão e do Mosquito. E fica a dica: quanto mais tempo tiver para a viagem, maior a chance de ir além do óbvio e desbravar lugares ainda pouco explorados, sendo que uma opção é apostar no período de seca, a partir de maio, ideal para se aventurar no trekking por ali. Mas, claro, em qualquer época você terá o privilégio de apreciar os encantos da pequena cidade tombada como Patrimônio Nacional que atrai viajantes de diversos países!

 

CHAPADA DOS VEADEIROS

Um dos principais destinos do Brasil e também um dos mais místicos. Fica em Goiás e é o lugar certo para aproveitar o contato com a natureza ou experimentar o lado esotérico. Isso porque alguns acreditam que o Alto Paraíso tem uma energia especial potencializado pela natureza do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Deixando hipóteses de lado, algo é certo: a Chapada dos Veadeiros está na mesma latitude de Machu Picchu e sobre uma enorme placa de quartzo! Sem falar que é um importante berço hidrográfico nacional, recheada de magníficas cachoeiras, rios cristalinos e imponentes paredões rochosos.

 

Cachoeira da Chapada dos Veadeiros

 

O roteiro por lá inclui desde passeios mais calmos, como caminhadas, observação de pássaros e meditações, até os que dão aquela boa dose de adrenalina, entre eles mergulho, rapel e tirolesa nas quedas d’água. Quando ir? Bem, nessa região, o clima é bem definido: tempo seco de maio a setembro e chuvas começando em outubro e se estendendo até abril. Na seca, algumas cachoeiras ficam quase sem água, mas a natureza abre caminho para o trekking, e algumas quedas d’água ficam mais cristalinas…

 

AMAZÔNIA

De dezembro a maio, é a época de chuvas, o que é sinônimo de rios mais cheios e os famosos igapós, ou seja: a mata misturada à área alagada! De junho em diante, é a seca quem deixa a Amazônia mais linda: com menos chuvas, os rios têm menor nível de água e, por consequência, formam-se as praias fluviais! É um grande privilégio sentir o clima da floresta, e isso no sentido físico e em outro nem tão concreto assim: a energia é inexplicável.

 

Amazônia índia criança

 

Viver uma experiência amazônica é algo a se levar para a vida, e a se fazer de forma sustentável e com muito conforto. Baú de crenças, tradições, fauna e flora riquíssimas, é onde a gratidão abre as portas para vivências e reflexões inesquecíveis. O melhor? Com exceção de setembro, mês de temperaturas muito altas, toda hora é hora de conhecer o verde do pulmão do mundo: desfrute, ele é brasileiro!

 

CÂNIONS DO SUL

É no inverno, especificamente de junho em diante, a melhor época para visitar a região, com temperaturas baixas, boa visibilidade e chuvas raras – além de um adendo na paisagem: prontos branquinhos da geada! A fronteira entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina merece a visita: ela guarda o maior conjunto de cânions da América do Sul, com cerca de 200 quilômetros de fendas que rasgam o solo a 1.400 metros de altitude e com características únicas: diferentes de outros pelo mundo, que quase sempre são desprovidos de vegetação, nossos cânions são ornamentados por muito verde!

 

Paisagem dos Canions do Sul Viagem Brasil

 

Entre os 3 cânions mais instigantes do Rio Grande do Sul, estão Cânion Monte Negro, Cânion Itaimbezinho e Cânion Fortaleza, esses dois últimos no município de Cambará do Sul, sendo que o Fortaleza é o cânion brasileiro que mais chama a atenção, por conta da verticalidade de seus abismos paralelos, parecendo um enorme rachadura na terra! Quer outra época para visitar essa belezas? É em março que os Cânions do Sul entram na vibe do outono; a visibilidade da região começa a melhorar e as temperaturas tendem a diminuir, atrativos para quem não quer sentir tanto frio e curtir banhos de rio!

 

BAHIA

Ela espera você com um dos litorais mais belos do país! E com tesouros guardados, preservados, aninhados timidamente à beira-mar: é o caso da Península do Maraú, onde estão mais de 40km de praias praticamente desertas e uma paisagem digna de deixar o celular de lado e registrar o momento na memória. Em Trancoso, hospedagens de luxo conservam a essência bucólica e a atmosfera hippie.

 

Areia e sombra de coqueiro em praia da Bahia

 

Ainda que você tente se afastar da costa, o paraíso te persegue em ilhas como Tinharé, onde está Morro de São Paulo, ou mais ao sul, o Arquipélago dos Abrolhos, casa de baleias Jubarte de julho a outubro. Quando ir? Especialmente de agosto a março, antes das chuvas. Mas sempre você vai poder provar a deliciosa e temperada culinária, regada a vatapá, caruru e munguzá. 

 

PRAIAS DE ALAGOAS ou CEARÁ

No Ceará, as chuvas acabam por volta de julho, agosto é ótimo para kite e windsurf, e você tem até dezembro para curtir as belas praias, com imensas dunas brancas contrastando com pequenas vilas de pescadores. Entre as estrelas discretas da região, Jericoacoara e sua Lagoa do Paraíso, que faz jus ao nome descortinando um cenário formado por águas cristalinas e dunas claras! Lagoa Azul e a própria Praia de Jericoacoara são outros ápices de uma jornada leve, tranquila e paradisíaca.

 

Paisagem de Coqueiros em alagoas

 

Praia do Francês e as Galés de Maragogi são apenas o começo da imersão por Alagoas, estado privilegiado que guarda a segunda maior barreira de corais em extensão, quase como a da costa australiana. É nele ainda que estão Praia do Gunga (e sua sequência impressionante de coqueiros), Praia de Antunes (com mar turquesa) e a pequena e charmosa São Miguel dos Milagres (uma das mais antigas vilas de pescadores da região), além de pousadas ecológicas e restaurantes estilosos. Quer acertar na escolha do mês? Aposte no intervalo entre setembro e março, sendo que nesses dois meses as praias são especialmente mais vazias e atraentes! E é entre setembro e novembro que acontece o Festival da Lagosta de Maragogi, um dos atrativos regionais.

 

JALAPÃO

Ainda não conhece o estado mais novo do Brasil? Aproveite, ele é um dos paraísos nacionais de ecoturismo! Paisagens exuberantes não deixam faltar piscinas naturais, cachoeiras cristalinas e dunas douradas onde caminhadas e canoagem são algumas das atividades que desnudam a natureza ao mesmo tempo em que a preservam. Um deserto das águas, o estado cujo nome vem da Jalapa, planta comum na região dona de propriedades medicinais, e onde a viagem é uma deliciosa expedição.

 

Fervedouro Rio Sono - piscina natural Jalapão

 

O Parque Estadual do Jalapão, no coração do país (entre os estados da Bahia, Maranhão e Piauí) promete mesmo: é lá onde o Tocantins surpreende – não só pela beleza natural, mas por alinhavar o primitivo ao desenvolvimento: a produção de seda de buriti é a principal fonte de renda local e motivo de estudo para garantir seu uso sustentável. É possível visitar o Jalapão o ano todo, mas a estação seca, que vai de maio a setembro, é a mais indicada. De outubro a  abril o dia é menos quente e a noite é menos fria, um ponto a se considerar, mas as chuvas podem atrapalhar os passeios e afetar a visibilidade do por do sol, algo a se contemplar na viagem!

 

PANTANAL E BONITO

O Pantanal é bem especial no período de chuvas, de outubro a abril! Isso porque a água que cai forma o espelho d’água na planície, cena para não esquecer. Época ideal para passeios de barco, ainda que ela traga mais aventura no acesso às pousadas. Mas ir ao Pantanal e não curtir um pouco de adrenalina é deixar de lado um dos seus pontos fortes, ainda que o destino seja perfeito também para os mais contempladores. Na seca, outro atrativo: esse é o melhor período para ver os animais pantaneiros em safáris fotográficos e caminhadas guiadas por nativos. À mesa dos pantaneiros, pode esperar peixes de água doce oriundos dos rios da região, que preenchem não só o cardápio, mas também o horizonte e o coração de quem passa por lá.

 

Cachoeira de Bonito, viagem no Brasil

 

Quem se aventura pelo centro-oeste do país surpreende-se também com Bonito, considerado o melhor destino de ecoturismo do Brasil e exemplo mundial de turismo sustentável. Há passeios para todos os gostos e idades, rios de águas transparentes, cachoeiras belíssimas e grutas de arrancar o fôlego que se unem à ótima infraestrutura. De dezembro a fevereiro, segredinho: o sol incide sobre a gruta do Lago Azul. Em contrapartida, é na seca (entre maio e setembro) que os rios ficam mais cristalinos e com mais peixes, ideais para mergulho e snorkelling. Dica: aposte em um roteiro que una Pantanal e Bonito, ambos formam uma dupla perfeita para explorar o Brasil!

SalvarSalvarSalvarSalvar

SalvarSalvarSalvarSalvar

SalvarSalvarSalvarSalvar