Scroll to top

A vida que há nos atóis


terramundi - 2 de setembro de 2020 - 0 comments

De início, eram ilhas vulcânicas com recifes em seu entorno. Ao longo de milhares de anos, nível do mar sobe gradualmente em relação ao fundo do mar e a água começa a ultrapassar a ilha, que fica submersa em algumas partes. Os atóis são um reflexo da ação do tempo – e do homem -, materializando de uma forma delicada e, ao mesmo tempo, forte a capacidade da natureza se adaptar às mais adversas situações. Frente às consequencias da depredação do meio ambiente, ele responde com beleza.

E profundidade. Quem vê um atol imagina que ele se resume a um conjunto circular de recifes de coral beirando praias de areia branca com algumas palmeiras solitárias. Mas debaixo d’água, a vista é outra. Mergulhar no oceano Índico mostra a estrutura complexa e diversa: como uma escada viva, eles construíram seus invólucros protetores de carbonato de cálcio uns sobre os outros, na tentativa de sobreviver a menos de 45 metros abaixo da superfície do água.

Atóis nas Maldivas

 

Os atóis são, na verdade, algumas das estruturas mais complexas e vibrantes do planeta. Inúmeras espécies de peixes e invertebrados podem ser encontradas habitando as águas dentro e ao redor de sua estrutura de coral. A vida embaixo d’água pode ser mostrar ainda mais surpreendente do que as paisagens etéreas acima da superfície.

Nas Ilhas Maldivas

Desconectar para reconectar totalmente. Maldivas é 99% água e lá, cercado pela vida que preenche o atol debaixo e sobre a superfície aquática, a vida se resolve fácil. Lar de mais de 1.000 ilhas, organizadas em 26 atóis reluzentes, o arquipélago é uma das nações insulares mais luxuosas do mundo.

Na combinação luxo e destino remoto, os viajantes encontram alguns dias de isolamento e tranquilidade, em que a única interrupção para dias de praias ensolaradas e vida idílica em uma ilha será uma gastronomia de alto nível e passeios para descobrir as belezas do oceano.

 

Posts Relacionados