Scroll to top

Turquia além de Istambul


terramundi - 12 de abril de 2018 - 0 comments

Turquia não é só Istambul, você bem sabe. Mas, nós todos entendemos, é tentador fazer uma viagem ao sexto país mais visitado do mundo tendo como foco sua enorme, clássica, histórica e contemporânea metrópole. Você pode e deve conhecer a cidade onde o Ocidente encontra o Oriente de forma mágica e harmoniosa. Só não se esqueça: o leste do país é super interessante, a paisagem lunar da Capadócia é imperdível, onde a Virgem Maria morou, o céu é uma piscina natural em Pamukkale e a Riviera Turca é a concorrente perfeita às praias da Grécia. Vamos além de Istambul?

 

Piscinas Naturais

Sabe o céu, o paraíso, ou aquele lugar para onde nosso imaginário nos leva em uma possível morte ou naquele dia de cansaço extremo? Bem, ele não fica exatamente no céu, mas a apenas 600 km de Istambul, nas piscinas naturais de Pamukkale, que significa “castelo de algodão”. Seriam nuvens? Pode apostar! Espalhadas em forma de degraus em uma enorme montanha branca que parece de neve, as piscinas naturais constroem um cenário de sonhos, e são um verdadeiro tesouro turco.

São quase 3 mil metros de comprimento e cerca de 160 de altura; uma montanha divina que tomou forma depois de abalos sísmicos, com nascentes de água ricas em minerais, sais e calcários. Dezenas de fios de águas quente, com temperatura média de 35 graus, escorrem suavemente do topo e formam piscinas de água termal que, segundo os locais, têm propriedades curativas.

 

Riviera Turca

À primeira vista você pode achar que está na Grécia, mas não! A Riviera Turca é uma pintura hipnótica de praias idílicas. Difícil não se apaixonar perdidamente pelas baías de Bodrum, MarmarisFethiye e toda a paisagem ao redor, admirada em uma romântica “viagem azul”, como são chamados os passeios de guletas,  as tradicionais embarcações de madeira que levam os viajantes às mais belas descobertas por 6 ou 7 dias.

Bodrum é o centro turco da arte, do luxo, da alta sociedade de Istambul e de noites animadas, onde a orla, repleta de bares, restaurantes e cafés, parece não querer deixar ninguém ir embora. Marmaris é um dos destinos favoritos dos turcos e dona da noite mais badalada do país e praias “urbanas” exóticas. Enquanto isso, Fethiye é tão rica em história e arqueologia quanto em praias exuberantes – as mais belas da Turquia! Entre elas, o Vale das Borboletas, cênica faixa de mata repleta de borboletas e em meio a dois penhascos que guiam você até o turquesa do mar!

 

Éfeso e a Casa da Virgem Maria

Não são poucos os arrebatados por forte emoção ao entrar nela, uma casa simples, de pedra, cercada de verde. É uma pequena igreja bizantina, que se tornou a casa da Virgem nos seus últimos anos de vida: São João Evangelista teria levado Maria para Éfeso, quando fugiam da perseguição em Jerusalém. A tradição católica e ortodoxa crê que este é o local onde a Virgem teria ascendido ao céu, motivo pelo qual peregrinos cristãos e muçulmanos o visitam ano após ano.

Não há confirmações, mas sabe-se que no começo do Cristianismo as igrejas só eram construídas onde havia mártires ou santos – e em nome deles. Ou seja, esta é igreja atribuída a Maria e ela pode ser visitada! Um pouco abaixo da casa ficam fontes de água e muitos acreditam que ela tenha propriedades curativas. A casa está localizada há 9 quilômetros de Éfeso, ex-cidade grega guardiã das ruínas mais importantes da Turquia; é lá também que está o que restou de uma das sete maravilhas do mundo antigo, o esplendoroso Templo de Ártemis.

 

Capadócia

Certamente você já se deparou com essa imagem: balões coloridos sobrevoando incríveis formações rochosas com um céu azulzinho ao fundo. É a Capadócia, ou ao menos um recorte dessa região turca dona de uma beleza única e que nos dá a impressão de estarmos em outro planeta. As estradas são ladeadas por obras rochosas pontudas com portas esculpidas ora pelo homem ora pela natureza, resquícios de povos ancestrais que viviam em buracos escavados. A “Terra dos Cavalos Bonitos” é a de São Jorge que, segundo a história, nasceu no local e morreu após o imperador romano Diocleciano intensificar a perseguição aos cristãos.

A Capadócia (em turco: Kapadokya) é uma região da Anatólia central e herança dos vulcões Erciyes, Hasan e Melendiz que cuspiram lava por milhares de anos na região central da Turquia. Isso mais a erosão do vento e da chuva criaram um cenário único no mundo! Segundo os arqueólogos, há mais de 100 cidades que estão abaixo da Capadócia, e apenas 36 foram abertas. As duas mais conhecidas são: Derinkuyu, a mais profunda, e Kaymakli, a maior, com oito andares abaixo do solo, com visitação permitida nos quatro primeiros níveis.

Outro atrativo da Capadócia é a dança conhecida como a Ordem Mevlevi, fundamentada na ideia de que a música e a dança ajudam as pessoas a alcançarem um estado de êxtase que liberta da dor do corpo, purifica a alma e inunda a mente de amor. Acredita-se que o poder divino entra pela palma da mão direita apontada para cima e sai pela palma da mão esquerda apontada para baixo, no rodopio acelerado dos Dervixes, “dançarinos” com vestimentas brancas e chapéu na cabeça que giram em sentido anti-horário e atingem este sentimento chamado de “final”.

 

Turquia Oriental

É onde poucos viajantes chegam; a fatia de costa mediterrânea exótica e intocada na qual ruínas misturam-se aos campos cultivados e à combinação de religiões, idiomas e comidas que permeiam o burburinho moderno. Aqui, destacam-se as antigas cidades de Tarso e Antakya, com suas riquezas históricas e cristãs, e o Monte Nemrut Dag com o mistério por trás das grandes cabeças de pedra.

Próspera, cosmopolita e civilizada, Antakya fica perto da fronteira com a Síria, país do qual só se desligou totalmente em 1939. A cultura árabe influencia a vida local, a comida e a linguagem e isso é lindo, assim como a mistura de religiões – sunitas, alevitas e cristãs ortodoxas – motivo pelo qual os moradores a chamam de “Cidade da Paz”.

Já no Monte Nemrut Dag, há uma espécie de tensão no ar, com o monte escondido na névoa pela manhã e uma história misteriosa por trás: o santuário religioso foi construído para ser o túmulo de um rei, mas até hoje não foi confirmada a existência do corpo no interior. Seus 2.150 metros de altitude abrigam uma fila de estátuas do rei e dos deuses (aos quais ele queria agradecer), só que agora decapitadas pelos séculos. Localizado no Sudeste da Anatólia, a 100 km da cidade de Adıyaman, é Patrimônio Mundial e escolha certa para viajar para os tempos antes de Cristo.

Posts Relacionados